• Emerson Moreno

marcinha e seu testemunho



Elevo os meus olhos para os montes; de onde me vem o socorro? O meu socorro vem do Senhor, que fez os céus e a terra. " Salmos 121: 1-2.


Quando casei fui morar em uma casa que de dentro dela não conseguia ver o céu, nem mesmo da janela conseguia ver, e pedi ao Senhor que um dia eu pudesse voltar a morar em um lugar onde eu pudesse ver o céu sem precisar ir para fora, e Ele me atendeu. Hoje a impressão que tenho é que o céu está dentro do meu lar. E toda vez que olho para ele agradeço a Deus por essa benção.

As vezes na vida haverão situações em que não temos capacidade ou recursos para resolver. Podem ser coisas que parecem não ser importante para outro, mas é para você

No dia 26 de janeiro fui diagnosticada com um câncer bem inicial na mama. Ao escutar da médica não quis acreditar e acho que devo ter insistido em perguntar por no mínimo três vezes o que realmente tinha. Foi muito ruim escutar aquilo. Acho que minha mente saiu daquela sala de consultório e por alguns minutos olhei para o céu e lembrei que o meu socorro vem de lá. Lembro que dali fui em dos lugares que mais gosto de ir passear em minha cidade, um Shopping. Meu marido sabia disso e me levou. Naquele momento eu só queria chorar, gritar, entender meu erro por algo que comi, que usei, que pequei, enfim...sempre queremos pensar que ao passarmos por uma situação difícil somos culpados e foi aí que precisei confiar mais em Deus.

Ao passar esse primeiro momento, o segundo passo foi avisar para os familiares e amigos. Não conseguia pronunciar a palavra câncer por algum tempo e toda vez que tentava me esvaia em lágrimas, vendo minha mãe sofrer com essa notícia não foi fácil. Passado alguns dias fiz alguns exames, retornei a médica para saber qual seria o prognóstico, e o resultado foi: cirurgia e radioterapia. Primeira vitória. Não precisaria de quimioterapia, pois a lesão encontrada não era invasiva e não foi encontrada metástase. No dia 17 de fevereiro de 2021 entrei no centro cirúrgico depois de algumas etapas com mamografias (que perdi as contas de quantas fiz,) biópsias, e exames invasivos.

A cirurgia foi um sucesso, mas o resultado da biópsia saiu e solicitou um aumento de margem de segurança e com isso foi orientado mexer na axila, exigindo uma nova cirurgia. No dia 17 de março (um mês depois), fiz a segunda cirurgia e novamente passei por exames pré operatórios invasivos. A anestesia era algo ruim nesses procedimentos, doía à aplicação na mama, mas era só um começo de algo pior.. Chorei, me angustiei, senti desanimo, dor, fraqueza emocional, mas tinha certeza de algo, que toda vez que eu elevasse os meus olhos o meu socorro estava lá. A cirurgia foi realizada e encontrado uma pequena lesão, caso não tivesse acusado na biópsia o aumento de margem, essa poeira, como dizia a médica, poderia ter ficado e talvez evoluído para um quadro mais grave. Uma semana se passou da cirurgia e saiu o resultado da nova biópsia. Ansiedade florescendo e retornei a médica para avaliação. Acompanhava o olhar dela em cada linha do laudo para tentar ler de alguma forma se aquilo era bom ou ruim e para a glória de Deus, a notícia era a melhor. Ela me disse olhando fixamente pra mim: Você está curada! Minha alegria foi tamanha que queria sair gritando na clínica para que todos soubessem.

Muitos fatos me marcaram nesse período, mas um em especial me chamou atenção. Foi enquanto aguardava na recepção da clínica a médica preencher os papéis para dar entrada na nova cirurgia e estava sentada ao lado do meu esposo, de cabeça baixa e com muita vontade de chorar, notei que tinham pessoas próximas, mas as via de uma visão periférica e ao levantar a cabeça e olhar para um lado específico vi um senhor bem idoso, mas firme no seu andar e com o cabelo muito branco, olhou para mim fixamente e me disse que tudo ficaria bem. Aquilo me marcou profundamente, perguntei ao meu marido: você viu? Ele balançou a cabeça e disse que sim e sorrimos. Deus estava comigo e me fez novamente levantar a minha cabeça e olhar para o alto.


Pessoas especiais e específicas foram colocadas em minha vida para me ajudar, principalmente com as emoções. Cancões, palavras, orações, mensagens, emojis, figurinhas, visitas, ligações, presentes, tudo foi importante para passar pelo processo com mais leveza. E uma pessoa especial contribuiu para essa leveza, meu esposo, Saulo. Quanta força esse homem me passou, quanto cuidado ele teve comigo e quanta maturidade em passar por isso com tanta força e sabedoria. Descobri pessoas que se importaram com a minha dor, porque já tinham vivido aquilo, pessoas que nunca passaram mas me acolheram nesse momento de uma forma muito particular, um amor e cuidado que me constrangeu.

Os passos ainda não terminaram, ainda passarei por algumas sessões de radioterapia para inibir qualquer futura lesão, mas uma coisa eu tenho certeza, que toda vez que eu elevar os meus olhos, verei os céus e é de lá que vem o meu socorro, vem do Senhor, que fez os céus e a terra.

Tempestades virão, não há como fugir delas, mas estar em uma tempestade com Jesus é diferente e melhor ainda é continuar com ele depois da tempestade. Te convido a conhecer a Jesus Cristo e experimentar confiar Nele.


Marcia Maria Almeida da Silva Souza.


#testemunhos#icln



247 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo